domingo, 4 de junho de 2017

David e Godzilla e outros Mitos e Lendas


Naquele tempo, andava David a pastar ovelhas para se entreter, quando lhe apareceu a Godzilla. De susto, até o leite dos ovinos se fez em requeijão. O bicharoco disse-lhe:

- Olha, vou-te espezinhar.

David mirou o monstrengo, com a confiança de quem sabe da poda, e respondeu-lhe sorridente:

- O Golias pensava como tu e foi o que se viu.

Procedeu a tirar do alforge a sua funda e a apanhar, com um estalar de dobradiças - o tempo passa por todos, uma pedra de tamanho razoável e bem arredondada. Brandindo a arma em rodopios por cima da sua régia cabeça, apontou ao meio da testa daquela espécie de dinossauro, tão carregadinho de esteróides anabolizantes que faria corar de vergonha o Ben Johnson.

A pedra partiu a alta velocidade, cumprindo uma trajetória perfeita e acertando em cheio na testa da Godzilla. Mesmo entrujolhos.

O bicho pestanejou, levantou uma patarrona e espezinhou o David.

Moral da Lenda: Se passardes muito tempo concentrados apenas em repetir a mesma coisa, não vos dareis conta de que se tornou um mito. E podeis muito bem ser espezinhados.

... 

Naquele tempo, reuniram-se uns num sitio e puseram-se outros a falar. Um estúpido levantou-se da plateia e perguntou:

- Porquê?

Ao que lhe responderam com muitos factos não provados, cuja veracidade - de se repetirem por gerações - ninguém contestava. E disse-lhe um:

- O rendimento per capita a Norte é mais baixo. Mas já os nossos avós sabiam que no Norte é que se trabalha. E Norte somos nós. Que ali mais acima são todos amigos dos Sulistas, ali mais abaixo já é mais Sul do que Norte, ali mais ao lado é interior. Enfim, fora das nossas muralhas - tivéssemos nós sido bafejados com umas, mas já se sabe, vai tudo para a Capital, a começar pelas muralhas - ninguém trabalha e ganham do que nós produzimos.

O estúpido mostrou uma lista dos 10 maiores exportadores daquele Reino. E eram todos de outros vilarejos.

Moral da Lenda: Enquanto carpíeis, comprastes mais Correios da Manhã do que Primeiros de Janeiro.

...

Naquele tempo, o Rei tinha desatado a perder muitas e inúmeras batalhas. Os nobres instigavam a populaça à revolta, o clero rezava pelas Alminhas que viriam salvar o Reino e os inimigos mandavam os seus bufões animarem os mercados da mui Leal, com cantigas de escárnio que os sempre Invictos basto apreciavam, enquanto acenavam com as cabeças.

Chegou a altura de escolher o Rei para mais quatro anos - tinha aquela monarquia as suas democracias - e todos aplaudiram a certeza de Rei morto, Rei posto. Só que nenhum se quis pôr, pelo que não tiveram remédio senão lá deixarem o antigo.

Ao sinal de mais uma batalha perdida, voltaram em alegre cantoria a anunciar a morte do Rei, o fim do Reino, a queda da Nobre, o Apocalipse Nuclear em cuecas. Tinha passado só um ano desde que houveram sido chamados a escolher um Rei e faltavam ainda três para oportunidade semelhante se lhes deparar.

Assim, o Rei mandava os seus Ministros dizerem umas patacuadas à maralha, enquanto ponderava entre o esforço para regressar à Glória Antiga e o dolce fare niente da sua reforma doirada.

Moral da Lenda: Os meninos que não falaram na sua vez, deixai-vos agora estar caladinhos.

... 

Naquele tempo, o Povo ansiava por um Campeão. Um David, um João Ratão que fosse. Depois de despacharem entre penas e alcatrão um padre que se apresentara vestido com uma luzidia armadura, clamavam por sangue na guelra, murros nas távolas, forte clamor e, já agora, que afinasse quando chegava a hora de cantarem Aleluias. 

Se sabia ou não espadeirar, não parecia muito importante, porquanto fosse "dos nossos", habituado a bulir de Sol a Sol por uma malga de água suja e duas lentilhas, sob a opressão do Centralismo Castrador.

Logo que lhes apresentaram um, enumeraram a lista de defeitos:

- É mal educado e grita muito.
- Vai insultar os inimigos e ser posto de parte no campo de batalha.
- Deixou ficar mal o seu antigo Rei, para se vir tornar no nosso Campeão!
- Deve ser burro, pois deixou de ganhar muitos cobres de bronze só para se juntar a nós.
- Entregaremos todo o Tesouro Real para que venha ser nosso Campeão, é a Grande Fome!
- Afinal, nem moedas por ele exigiram, já se vê a bela trampa que de lá vem.
- A Sãozinha cheira mal!
- E espadeirar, será que sabe?
- Veio pela mão do Grão-Vizir.
- Não veio pela mão do Grão-Vizir.
- Parece que não tem mãos sequer...

Moral da Lenda: Servil é o que serve apenas para negar a escolha de outro, nunca para pensar a alternativa ao outro. Até porque pensar dá trabalho e o trabalho dói.

...

Naquele tempo, um parvo prometeu: Outro dia, falo disto a sério. Mais a, quero eu dizer.

...

Soundtrack to Myths and Legends: Bash the bastards.

15 comentários:

  1. Muito... muito? Muitíssimo bom. Caramba, estás cada vez melhor.Inspiração não te falta. "Excelente" é o teu "nome do meio".Parabéns !!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sou o único... a elogiar-te, pois não??? Pensavas que era a "olhar o céu?"

      Eliminar
    2. Desta maneira...sim, és! Haja alguém! :) Eu gosto, velhote. Não te ponhas é de nariz pró ar a olhar o céu, que ainda pisas cocó :))

      Eliminar
    3. Antes isso do que dar com a "tromba" num poste...eh eh !!

      Eliminar
    4. Ena, que atento. Ou foi mero acaso? É que isso dos postes já foi tema por aqui,há muito tempo

      Eliminar
    5. Não foi assim há tanto tempo. Aliás, como sabes, o tempo é aquilo que dele fazemos !!!

      Eliminar
    6. 2 anos? Muito tempo. Pergunta a um treinador do FCP :))))

      Eliminar
  2. Pena o tasqueiro ter chegado tarde, ainda veio a tempo, mas não a tempo de nos servir esta bela pinga. Mas para o ano há mais e já está reservada a mesa. Peixe não vai faltar, promessa de Xebeu e se houver peixe, também haverá uma bela pinga. Digo eu que quando prometo... cumpro!

    Abraço, Silva

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mesmo que mais curto, é sempre um enorme prazer. Pois claro que lá estaremos, nem as épocas acabam sem essa bela pinga partilhada. Que sejam brindes alegres, é o que todos desejamos.
      Um grande abraço, Grande Vila Pouca.

      Eliminar
  3. Que não seja como "Naquele tempo", em que a fome ou a pressa em comer um belo guisado, fez Esaú perder a sua primogenitura!

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É por isso que eu evito os guisados... :)
      Abraço.

      Eliminar

  4. @ Silva

    estes mitos só revelam 'how deep is your love'... pelo Clube obviamente.
    (não fosteS o único a sorrir com a piadola)

    abr@ço forte
    Miguel Lima | 92° minuto

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Contava com isso pá! Continuaremos alegremente a desertificar :)
      Abraço.

      Eliminar